MENDES NOVO 11/04/19
MENDES 1 - 07/05
INTOXICAÇÃO

Morre 2º paciente com sintomas de intoxicação causada por cerveja contaminada em MG

A primeira vítima morreu no dia 7 de janeiro; existem 17 casos suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol

16/01/2020 08h11
Por: Redação
127
FOTO: ILUSTRATIVA/PIXABAY
FOTO: ILUSTRATIVA/PIXABAY

Por Caroline Berticelli

A morte de um segundo homem com suspeita de intoxicação por dietilenoglicol encontrado na cerveja Belorizontina, da fábrica mineira Backer, foi confirmada pela Polícia Civil nesta quarta-feira (15).

A vítima, que não teve a identidade divulgada, estava internada em um hospital particular em Belo Horizonte, em Minas Gerais. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para necropsia.

Mortes 

Segundo a Polícia Civil, esta é a segunda morte possivelmente provocada pela chamada síndrome nefroneural, que causa insuficiência renal aguda e alterações neurológicas. O primeiro óbito confirmado foi o de Pascoal Demartini Filho, de 55 anos, então morador de Juiz de Fora, a 280 km de BH, no dia 7 de janeiro. 

PASCOAL DEMARTINI FILHO, DE 55 ANOS, MORREU NO DIA 7 DE JANEIRO. (FOTO: REPRODUÇÃO/RECORD TV MINAS)
PASCOAL DEMARTINI FILHO, DE 55 ANOS, MORREU NO DIA 7 DE JANEIRO. (FOTO: REPRODUÇÃO/RECORD TV MINAS)

Uma terceira morte ainda não foi confirmada e seria uma idosa de 60 anos de Pompéu, na Região Central de Minas Gerais. A prefeitura do município notificou a Secretaria de Estado de Saúde (Ses) sobre a possível morte por contaminação. 

Todos foram diagnosticados com problemas neurológicos e insuficiência renal grave.

17 casos de intoxicação 

O balanço mais recente da Secretaria de Estado de Saúde, divulgado nesta terça-feira (14) apontava 17 casos suspeitos de intoxicação, sendo 16 homens e uma mulher. Os diagnósticos são para 12 moradores de Belo Horizonte; os restantes são de Ubá, Viçosa, São Lourenço, Nova Lima e São João Del Rei.

A MESMA CERVEJA É VENDIDO COM OS RÓTULOS DE BELORIZONTINA E CAPIXABA. (FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM CERVEJARIA BACKER)
A MESMA CERVEJA É VENDIDO COM OS RÓTULOS DE BELORIZONTINA E CAPIXABA. (FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM CERVEJARIA BACKER)

Conforme o Governo Estadual, quatro deles já tiveram diagnóstico positivo para dietilenoglicol: uma substância tóxica que foi encontrada em três lotes da cerveja Belorizontina e em um tanque da fábrica que produz a bebida. O resultado dos exames dos outros 13 pacientes ainda não saíram. 

Investigação sobre a cerveja

A investigação que apura as mortes e os casos de intoxicação é feita por uma força-tarefa, eles tentam descobrir a relação dietilenoglicol com a síndrome nefroneural. 

A fábrica da Backer foi interditada pelo Ministério da Agricultura e todas as cervejas e chopes produzidos pela companhia desde outubro passado foram recolhidas. 

A diretora da cervejaria Paula Lebbos informou, nesta terça-feira (14), que a empresa está cooperando com a apuração dos casos e pediu para que os clientes não bebam os produtos do rótulo Belohorizontina. A mesma cerveja é vendida com o nome ‘Capixaba’ no Espírito Santo. Ela também ressaltou que a Backer nunca comprou a substância química dietilenoglicol. 

“O que estou pedindo é que não bebam a [cerveja] Belorizontina, qualquer que seja o lote. Eu não sei o que está acontecendo”, declarou Lebbos. 

 Ric mais

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Pérola - PR
Atualizado às 09h29
21°
Muitas nuvens Máxima: 27° - Mínima: 19°
21°

Sensação

23.3 km/h

Vento

75.2%

Umidade

Fonte: Climatempo
Municípios
36 HORAS 11/05/19
MENDES 11/05/19
BOA NOVA FM 11/05/19
FRUTARIA PÉROLA 11/05/19
Últimas notícias
Mais lidas